Levantamento feito
em parceria com:

Troiano Branding

Produzido por:

Media Lab
Foto de bongkarn thanyakij no Pexels

Reportagens

Ações para combater a falta de qualificação profissional

9 de setembro de 2020

Mesmo com o desemprego em alta, muitas empresas têm dificuldade para encontrar profissionais qualificados.

A crise econômica causada pela pandemia segue impactando o País. Segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa oficial de desemprego no Brasil subiu para 13,3% no trimestre encerrado em junho, atingindo 12,8 milhões de pessoas.

Mesmo com o desemprego em alta, muitas empresas têm dificuldade para encontrar profissionais qualificados. Mas a falta de talentos não é exclusividade brasileira. A lacuna é global e atinge 54% das empresas no mundo todo, segundo relatório feito pelo ManpowerGroup.

Para a palestrante e consultora de recursos humanos, Cláudia Faria, a escassez profissional está diretamente ligada aos problemas educacionais. “É praticamente impossível resolver essa barreira a curto prazo. É preciso que as companhias invistam em qualificação e nos colaboradores”.

De acordo com Cláudia, uma das ações para mitigar a falta de profissionais especializados é identificar quem tem o perfil semelhante ao da vaga e trabalhar as competências necessárias para o cargo. “Sabemos que não é tão simples. Estamos falando de investimento em dinheiro, pessoal e tempo. A empresa precisa estar disposta a fazer esse trabalho”.

Aceleradora de carreiras

Com a proposta de alavancar a carreira dos profissionais, a Revelo criou um programa para promover a aceleração da carreira e desenvolvimento profissional. O objetivo é diminuindo o déficit de candidatos por meio de concessão de financiamento de cursos.

Cofundador da startup de tecnologia focada na área de recursos humanos, Lucas Mendes explica que atualmente a procura por pessoas com habilidades digitais é 150% superior à oferta. “Avaliamos os dados da nossa base que conta com mais de 1.5 milhão de profissionais e milhares de recrutadores que abrem vagas todos os dias. Identificamos a falta de qualificação no mercado e que isso estava impactando a vida das pessoas. A gente quis resolver esse problema, já que podemos conectar esses dois mundos: candidato e empresa”.

Segundo ele, o programa baseado em machine learning está em constante desenvolvimento. “Toda vez que uma nova habilidade é requisitada por um recrutador, ela é mapeada. De acordo com a frequência, o time consegue adicionar essa possibilidade de qualificação para aceleração de carreiras”.

Compartilhe esse conteúdo