Levantamento feito
em parceria com:

Troiano Branding

Produzido por:

Media Lab
Foto de Andrea Piacquadio no Pexels

Reportagens

Encontro de mulheres ensina o pitch perfeito

11 de setembro de 2020

Objetivo da ação é conectar empreendedoras em rodas de conversa para gerar negócios e interações

Você já ouviu falar sobre pitch perfeito ou elevador? Essa técnica muito usada por startups funciona como um discurso rápido e estruturado. O objetivo é ajudar a vender suas ideia ou negócio para a pessoa certa. Seguindo essa linha, o Encontro de Network para Empreendedoras promete conecta mulheres em rodas de conversa para gerar negócios e interações entre elas.

“Chamado de RMqD Network, o evento nasceu em julho para conectar mulheres, de todo o país, à frente de negócios, por meio de dinâmicas de interação e de apresentações em formatos de pitch. O primeiro foi um encontro-piloto. Gratuito, obteve mais de 200 inscrições para uma sala aberta na ferramenta Zoom em formato de dinâmicas para comportar 70 empreendedoras”, explica Priscilia Queiroz, CEO da Rede Mulheres que Decidem (RmqD).

Síntese e criatividade

Para se destacar e eventos com rodas de conversas estruturadas, porém, é importante ter o poder de encantar durante uma breve apresentação. Por isso, Priscilia recomenda treinar apresentações com tempos variados: com um, dois e cinco minutos.

“Um bom pitch de vendas tem três características principais: ir direto ao assunto; ser criativo na abordagem e deixar uma mensagem clara. Trabalhar com elemento surpresa e trazer algo diferente sempre faz a empreendedora se destacar das demais nas apresentações”.

Empreendedorismo feminino

De acordo com os dados de 2019 da pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor, conduzida pelo Sebrae, o Brasil tem cerca de 24 milhões de mulheres empreendedoras. Mesmo crescendo no mercado de trabalho, elas ainda enfrentam grandes desafios.

Para a CEO da RMqD, além de estar imersa em uma infinidade de crenças limitantes sobre gerir uma empresa de resultados e olhar para investimentos e a saúde financeira das empresas, as mulheres fecham contratos por valores menores. Ou seja, sofrem na hora de cobrar pelo preço real do serviço ou produto.

“Elas encontram mais empecilhos na hora de obter linhas de crédito e empreendem muito mais por necessidade do que por escolha. A prática da qualificação, da capacitação e do planejamento dos negócios se afastam da rotina de uma empresa criada e gerida no contexto da necessidade. Os múltiplos papéis exigidos da mulher, dentro e fora de casa, também são características que exigem um grau de disciplina superior ao do público masculino, na hora de organizar o tempo e a rotina”.

Serviço

On-line, o Encontro de Network para Empreendedoras tem sua terceira edição marcada para o dia 23 de setembro. Com duração de duas horas, o evento comporta a conexão direta com mais de 60 mulheres e gera visibilidade, novos negócios, parcerias e mudança de mindset. As inscrições custam R$ 67,70 para novas integrantes.

Compartilhe esse conteúdo