Foto de Karolina Grabowska no Pexels

Apesar dos números da pandemia continuarem em constante elevação, estados e município já começam a organizar o retorno gradual às atividades, com a reabertura progressiva do comércio e dos escritórios. Com esse o movimento de retomada gradual das atividades econômicas no Brasil e no mundo, é indispensável a discussão como será a volta do trabalho presencial, uma vez que o contexto coorporativo sofreu repentinamente profundas mudanças.

Quais serão os desafios e as responsabilidades das empresas sobre essa nova situação? O que é preciso fazer para garantir a segurança dos trabalhadores? Como definir esse momento? E os cuidados necessários para o convívio dos funcionários?

Para falar sobre o assunto, a jornalista e gerente de publicações do Media Lab, Fernanda Sampaio, entrevistou na TV Estadão a especialista em Direito do Trabalho, Jessica Vaz, e a head de Recursos Humanos da Daniel Advogados, Bruna Souza. Assista à íntegra:

Nova realidade

Até o momento, ainda não existe cura ou vacina para combater a covid-19. Por isso, são necessárias estratégias de contenção para evitar a proliferação em grande escala do vírus, garantindo também a manutenção da atividade econômica. Seguindo as orientações de órgãos de saúde, as empresas seguem elaborando protocolos para promover o retorno dos funcionários com a segurança necessária.

Disponibilização de álcool em gel, máscaras, espaçamento entre os profissionais, rodízios, horário flexíveis. Essas e outras medidas estão sendo implantadas pelas empresas. Em todo esse processo, a tecnologia segue como uma ferramenta importante.

Aliás, o home office deve seguir como uma opção. Bruna explica que as empresas que já investiam em tecnologia e inovação tiveram menos dificuldade para se adaptar. Agora, com a estrutura já em funcionamento, é possível manter o trabalho por mais tempo o trabalho remoto ou, até mesmo, modificar a rotina de trabalho. “Acredito que o home office será uma tendência nesse novo normal”.

Jessica acredita que a opinião sobre o trabalho remoto é diferente atualmente. “As empresas que pensavam que trabalhar em casa era prejudicial para a produtividade certamente mudaram esse pensamento”. Por isso, ela acredita que as empresas terão que promover um diálogo com os funcionários, caso a opção seja a manutenção desse sistema.

Com relação ao retorno ao ambiente de trabalho, ela explica que os empregadores devem ficar atentos às orientações dos órgãos responsáveis, seguindo as determinações específicas para cada município e atividade. Além disso, ela afirma que a responsabilidade de da empresa garantir a segurança do trabalhador no ambiente de trabalho. Por isso, é importante estabelecer regras de convívio e manter um acompanhamento permanente, orientando sobre as práticas necessárias para evitar complicações.

continuar lendo