O avanço do coronavírus no mundo tem transformado as atividades básicas do dia a dia como o pagamento de contas, por exemplo. Em março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou sobre a possibilidade de as cédulas de dinheiro conter vírus. Por isso, o órgão indicou o pagamento por aproximação como uma solução.

Foto de Jack Sparrow no Pexels

A orientação reforçou os novos hábitos de consumo, como as compras pela internet, o uso de serviços diversos por meio de aplicativos e a adoção de novas tecnologias.

De acordo com a pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), 48% dos usuários de cartão fazem compras on-line com o produto. Ainda de acordo com o levantamento, o celular é o canal mais usado para as compras on-line.

Fintechs estão em alta

Se as fintechs já estavam em alta antes do isolamento social, agora conquistaram ainda mais destaque. A RecargaPay, por exemplo, oferece serviço de pagamentos pelo celular. A empresa, que começou com recarga de celular, tem atualmente entre os serviços a transferência de dinheiro via QR Code.

“Atualmente, oferecemos também pagamento de contas e boletos em geral, vale-presente para lojas on-line, compra de cartões Zona Azul Digital, cartão pré-pago, recarga de cartão de transporte, entre outros serviços”, explica Renato Camargo, CMO da RecargaPay.

LEIA TAMBÉM
Empresas precisam evitar o oportunismo na crise
Pets: setor acredita em crescimento apesar do coronavírus
Entenda as diferenças entre seguro e plano de saúde

A fintech conta com mais de 12 milhões de downloads, sendo 3 milhões de usuários ativos por mês. A empresa ainda não tem um balanço com os números consolidados durante a pandemia. Entretanto, Camargo acredita que o crescimento foi significativo.

“Com mais pessoas dentro de casa, é natural que o pagamento de contas pelo celular aumente. Ainda não temos números consolidados, mas podemos afirmar que tivemos um crescimento considerável de pagamentos pelo aplicativo, assim como nas recargas de celular e gift cards (uma opção de entretenimento em tempos de quarentena)”.

continuar lendo