O Assaí Atacadista, que lidera o ranking do Estadão Empresas Mais entre as varejistas e que ficou com o segundo posto no ranking geral de empresas de Alto Impacto, atravessou o conturbado 2020 e os meses iniciais de 2021 sem tirar o pé do acelerador. Prova disso foi a abertura de 19 novas lojas no ano passado e os planos de seguir num ritmo de pelo menos 25 inaugurações por ano até 2030. A cisão de negócios com o Grupo Pão de Açúcar, anunciada neste ano, vai gerar a conversão de 71 lojas do Extra Hiper, o que levará a rede de atacarejo a somar 300 lojas até 2023.

E tudo aconteceu num cenário desafiador, não só pela pandemia e seus impactos no comportamento dos consumidores, mas também pelo atual patamar elevado de inflação. Afinal, o momento econômico do País atingiu públicos importantes para o Assaí, como dos transformadores (bares e restaurantes) e os utilizadores (hotéis, escolas e igrejas, entre outros), além da população em geral, afetada pelo desemprego e pela perda de renda.

A aceitação do formato de vendas usado pelo Assaí pelos brasileiros é uma das explicações para o cenário positivo. “O atacado nasceu para atender ao pequeno e médio comerciante, mas temos observado, especialmente nos últimos 10 anos, uma migração de consumidores finais para o segmento. Na crise de 2020 e 2021, isso também se acentuou”, afirma Marly Yamamoto, diretora de Marketing & Gestão de Clientes do Assaí.

A rede entende sua importância social de garantir segurança alimentar e também econômica para os pequenos varejistas. “Atuamos cientes de nossa responsabilidade em abastecer mais de 30 milhões de vidas que passam por nossas lojas todos os meses. Por isso, mantivemos a nossa prioridade voltada aos clientes e colaboradores”, complementa a diretora.

A empresa ainda acelerou suas vendas eletrônicas, que hoje já estão disponíveis em 122 lojas de 16 Estados. Isso tem potencializado o alcance de novos consumidores e oferecido aos clientes a possibilidade de realizar suas compras por meio do aplicativo, com o mesmo sortimento e preços oferecidos nas lojas físicas. Recentemente, foi anunciada uma parceria com a Cornershop by Uber para agregar mais comodidade e conveniência à operação.

 

Drogasil, uma plataforma de bem-estar

A rede de farmácias Raia Drogasil, segunda colocada no ranking da categoria Varejo, manteve seu ritmo de inaugurações de lojas em 2020, abrindo mais 240 pontos de venda. A receita líquida atingiu R$ 21,2 bilhões, crescimento de 15,1% no conceito geral e de 7,4% quando consideradas as mesmas lojas de 2019.

Apesar do maior número de lojas, a penetração das vendas por meio digital chegou a passar de 7% nos períodos mais agudos da crise, com a média anual fechando em torno de 5,9%. Em suas comunicações, a empresa tem batido muito na tecla da “nova farmácia”, que será na verdade um hub de saúde, com venda omnichannel, marketplace de produtos de saúde e plataformas de bem-estar.

“O atacado nasceu para atender ao pequeno e médio comerciante, mas temos observado, especialmente nos últimos 10 anos, uma migração de consumidores finais para o segmento. Na crise de 2020 e 2021, isso também se acentuou”
Marly Yamamoto, Diretora do Assaí

Atacadão aposta no regional

O Atacadão, outra operação de atacarejo a figurar entre as mais destacadas no ranking das varejistas, ocupa o terceiro posto do Empresas Mais em 2021. A rede controlada pelo Grupo Carrefour defende que o modelo ajudou não só a abastecer os lares durante a pandemia como também tem sido uma ferramenta para o microempreendedorismo e os pequenos negócios. Por conta disso, a rede ampliou a oferta de produtos regionais nas lojas, oferecendo uma oportunidade para que fabricantes e fornecedores locais possam crescer e desenvolver seus negócios.

A empresa também não perdeu a oportunidade de avançar na digitalização da operação para melhorar a experiência de compra. Há um ano, adquiriu a CotaBest, startup de atacado online, responsável pelo desenvolvimento do marketplace da marca. O Atacadão criou também uma plataforma para identificar e mostrar sempre o menor preço aos clientes, o que otimiza o tempo e garante mais economia nas compras.

Além do site focado no B2B, a empresa fez parcerias com os aplicativos Rappi e Cornershop, possibilitando uma experiência digital nas lojas em que eles atuam. A operação, presente em 120 lojas de 60 cidades, conta com uma equipe de shoppers dedicados a atender em tempo real os pedidos que chegam pelos respectivos aplicativos.