Vencedores São Paulo

  • 01Fernando de Noronha
  • 02Florianópolis / Fortaleza
  • 03Minas Gerais / Natal / São Paulo

Mais de 27% dos brasileiros pretendem viajar neste ano. Entre eles, 83% buscam um destino nacional, diz a pesquisa Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, do Ministério do Turismo. A população de 207 milhões de pessoas contém 60 milhões que já percorrem o País a trabalho ou a passeio, mas há outros 70 milhões prontos para embarcar. A fim de dar vazão ao vaivém e ter condições de receber bem todos os públicos, o investimento em infraestrutura é fundamental, sobretudo para que a divulgação de conteúdo em feiras de turismo, aqui e no exterior, seja atraente – e para que os locais entreguem o que prometem.

O arquipélago pernambucano de Fernando de Noronha, o destino mais desejado pelo terceiro ano consecutivo entre os entrevistados pelo levantamento Marcas Mais, está finalizando a pavimentação de 17 vias da ilha e a reforma do Palácio de São Miguel e do Posto de Saúde da Família. Segundo Manoela Fay, superintendente de turismo do Estado de Pernambuco, o objetivo é, dentro do controle migratório para entrar (246 pessoas por dia), aprimorar a oferta de ecoturismo para um padrão de consumo de luxo, o mais procurado.

No Ceará, Fortaleza faz aportes de peso em infraestrutura para colher os frutos da concessão do Aeroporto Internacional Pinto Martins à empresa privada Fraport, em 2017. O secretário de turismo da capital cearense, Regis Nogueira de Medeiros, diz que a ideia é elevar a média de 3,5 milhões de turistas que chegam à capital por ano e, com incentivo fiscal, renovar a Avenida Beira-Mar e a orla da Praia de Iracema. Para o bairro central de Varjota, o plano é transformar a região em polo gastronômico. Além de estimular a reunião de bons restaurantes por lá, toda a fiação deverá ser enterrada, a exemplo do que ocorreu em São Paulo na Rua Oscar Freire. E mais: para 2021, está prevista a inauguração de uma roda-gigante de 100 metros de altura, inspirada na London Eye, de Londres.

Fortaleza é o segundo destino que mais empolga o turista brasileiro, aponta o Marcas Mais. Empatada com ela, no sul do País, está Florianópolis – no ano passado, o Estado de Santa Catarina como um todo ocupou o segundo lugar. Para Vinicius De Luca Filho, secretário municipal de turismo da ilha, o resultado é fruto de esforços para resolver pendências antigas, a exemplo da volta dos navios cruzeiros, que há nove anos não ancoravam mais em Florianópolis.

O problema que precisa ser atacado, agora, é acabar com a insegurança jurídica. Segundo De Luca, é preciso manter um Plano Diretor que não tire o poder de ação de quem quer empreender em termos de transporte, hospedagem e ecoturismo. Percebem-se, aos poucos, as melhorias em infraestrutura das praias: banheiro públicos, internet sem fio, quiosques equipados com energia solar. Para a próxima alta temporada estão previstas estruturas de acessibilidade, com pessoal treinado e equipamentos para receber pessoas com deficiência física. E para que elas possam entrar no mar.

É preciso investir em acessibilidade, urbanismo e recuperação da paisagem

continuar lendo