Vencedores São Paulo

  • 01Honda
  • 02Chevrolet
  • 03Volkswagen

O mercado de automóveis está pegando velocidade. Na corrida, vão se dar bem as marcas que conseguirem emplacar bom preço de revenda, além de antecipar tendências e identificar as preferências do consumidor. Em 2017, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) constatou mais de 1,6 milhão de licenciamentos de automóveis nacionais (veículos de passeio) – um crescimento de 13% sobre 2016.

A japonesa Honda é o nome mais relevante do setor no Marcas Mais deste ano. Ser percebida pelos consumidores como referência de engajamento é uma tarefa para a qual a companhia destacou recentemente o myHonda, um banco de dados que centraliza informações de clientes, concessionárias e gerentes. “O objetivo é captar e oferecer, de maneira proativa e assertiva, a tendência de consumo de produto e serviço”, diz Roberto Akiyama, vice-presidente comercial da Honda Automóveis do Brasil. Por meio do que se sabe de público e região, a companhia direciona a comunicação: se em determinado lugar o rádio, como mídia, é muito ouvido, ela usará esse canal para falar.

O presidente mundial da Honda, Takahiro Hachigo, fez uma autocrítica pública em setembro de 2017 (“Nós perdemos os atributos de empresa de engenharia que fizeram da Honda tudo o que ela representou no passado”) e revelou as metas para retomar o caminho do sucesso: a companhia formou grupos de engenheiros para pensar exclusivamente em inovação. A ideia é reassumir a vanguarda do desenvolvimento do carro do futuro – elétrico, autônomo e conectado.

E quais seriam os atributos para posicionar a Chevrolet no lugar de segunda marca mais querida do Marcas Mais? Segundo o Jornal do Carro, o câmbio automático de seis marchas do Onix, da Chevrolet, é um dos melhores do segmento. Além de permitir trocas manuais, ele casou bem com o motor 1.4. Outra qualidade do modelo é a central multimídia intuitiva e rápida, que conta com o sistema MyLink, para tirar dúvidas de navegação, locais e outros serviços. Fora isso, a marca da GM avança ao divulgar os planos para novos modelos. Os compactos sucessores de Onix e Prisma terão plataforma feita em parceria com a chinesa SAIC. Um novo SUV também será lançado. A intenção é alcançar uma produção conjunta China-Brasil sem precedentes, de 2 milhões de unidades em 2021.

Até 2020, a Volkswagen vai investir R$ 7 bilhões no Brasil em novos modelos, tecnologia, inovação e maior proximidade com o público. O projeto é batizado de Nova Volkswagen. No ano passado, a marca colocou em seu canal do YouTube a série de ficção 01.09, de mistério e ação, e já teve 20 milhões de visualizações. Segundo Gustavo Schmidt, vice-presidente de vendas e marketing da Volkswagen, cada episódio mostra a reinvenção da marca. “Não só em inovações tecnológicas, mas também no jeito de se relacionar e se conectar com os brasileiros.”

Na fábrica, a companhia adotou a Estratégia Modular MQB, uma base de produção que pode ser compartilhada por veículos de diferentes segmentos. O modelo Virtus já é feito nesse sistema que, na prática, propicia uma redução do tempo de montagem e maior flexibilidade na produção.

Marcas líderes buscam fazer carros inteligentes e conectados e produzir mais (e melhor)

continuar lendo