Vencedores São Paulo

  • 01Samsung
  • 02LG / Sony
  • 03Philips

É ano de Copa do Mundo e a boa notícia para os fabricantes é que a procura por novas TVs, normalmente turbinada nesta época, tende a manter o fôlego mesmo após o Mundial. Os números do varejo sugerem alta: segundo a Associação Comercial de São Paulo (ACSP), em 2018 as vendas crescerão pelo menos 10% em relação a 2017. Além de um maior poder de compra, o consumidor tem a seu lado a resposta das principais companhias do setor para um dado da atualidade: o comprador está mais bem informado sobre as tecnologias – e quer continuar antenado com as novidades mesmo depois de fechar negócio.

“Ele [o cliente] avalia mais cuidadosamente a aquisição de uma nova TV e investe na marca que confia”, diz Andréa Mello, diretora de marketing corporativo e de eletrônicos de consumo da Samsung Brasil. Nome mais cativante no Marcas Mais da categoria, a empresa tem oferecido portais de informação sobre seus produtos, como um site da tecnologia 4K – o novo padrão que promete imagens de resolução quatro vezes superior ao Full HD. Em parceria com o canal SporTV, a Samsung também criou um aplicativo disponível para os donos de TVs dessa linha. Entre outros recursos, o app mostrará quais jogos serão transmitidos em 4K durante o Mundial na Rússia.

Walter Sinohara, gerente de marketing para o setor de TVs da Sony, ocupante da segunda posição (ao lado da LG), conta que, paralelamente ao investimento em inovação, a empresa também produz conteúdo multimídia para o consumidor. São vídeos explicativos sobre o funcionamento dos produtos. “Queremos mostrar qual é o benefício final da Sony”, diz Sinohara. Desde 2015, tem havido mais investimento na linha XBR, que a companhia chama de “o melhor da Sony”. “Apostamos na experiência da marca e oferecemos mais tecnologia e qualidade, independentemente do preço.” O cenário parece favorável: segundo a consultoria GfK, até 2017, a participação da tecnologia 4K no Brasil ainda era tímida (13%). Mas, logo no primeiro trimestre de 2018, o número passou para 20%. Na Europa, já chega a 30%.

Referência em tecnologia OLED para as telas (evolução do LED), outra frente de investimento da LG é, atualmente, a inteligência artificial. Segundo Bárbara Toscana, gerente de marketing da companhia, a ideia é oferecer cada vez mais soluções integradas aos recursos de internet das coisas. “Como indústria de tecnologia, queremos atuar na experiência do consumidor e desenvolver um produto que facilite sua vida. A conectividade é peça-chave.”

E o que virá depois da Copa do Mundo? Do ponto de vista da produção, o País já apresenta um aumento de cerca de 40% no setor de eletro- eletrônicos, aponta Marcel Solimeo, economista da ACSP. Do lado comercial, é provável que as promoções ajudem a liberar o estoque. O faturamento também deve melhorar, agora que o crediário está sendo retomado. Espera-se, portanto, um relacionamento profícuo com o consumidor. Em alta e boa definição.

O relacionamento com o comprador precisa ir muito além da venda

continuar lendo