O chamado setor de alimentação fora de casa não sabe o que é crise. De acordo com o Instituto Food Service Brasil, o segmento encerrou o ano de 2016 com um faturamento de R$ 178 bilhões e cerca de 80 milhões de clientes atendidos mensalmente. Na ponta deste mercado estão as redes de fast food e, aqui, o ranking Marcas Mais indica McDonald’s, Burger King e Habib’s como os preferidos pelos consumidores de São Paulo.

Tanto é assim que o McDonald’s, primeiro colocado no levantamento, mais do que dobrou seu lucro líquido no primeiro trimestre deste ano na América Latina. O salto foi de US$ 16 milhões em 2016 para US$ 40,6 milhões neste ano. No Brasil, onde a rede conta com 904 das 2,1 mil lojas da região, a receita também cresceu no período, chegando a R$ 360 milhões. Por trás deste sucesso está uma interação cada vez maior com o consumidor, que agora alcança também as redes sociais.

O vice-presidente de marketing do McDonald’s, Roberto Gnypek, revela que a companhia vem utilizando estratégias de comunicação que integram plataformas online e offline. “Um bom exemplo foi o lançamento do Original Mex. Os fãs da marca foram convidados a publicar comentários no Twitter sobre a experiência de provar o novo sanduíche, usando a hashtag da campanha #PrazerEmCriar, e os melhores comentários foram espalhados pela cidade de São Paulo em relógios de rua e pontos de ônibus”, lembra.

Vicente Varela, vice-presidente de inteligência digital e mídia da DM9DDB, agência do McDonald’s no Brasil, explica que a empresa vem se dedicando a estudar não apenas o que dizem os consumidores, mas quando o fazem, passando a entender seus momentos de vida. “Hoje aplicamos esse raciocínio para o McDonald’s, onde em cada campanha nos focamos em descobrir mais sobre a relação de como esse cliente vem assimilando nossa proposta. E é nos ambientes digitais que a marca consegue penetrar e fazer parte dessas conversas, reforçando e construindo o ponto de vista da companhia, que é oferecer momentos deliciosos para as pessoas”, diz.

O Burger King, segunda marca mais desejada no levantamento Marcas Mais, registrou em 2016 um crescimento de 47% e atribui o resultado à entrega de produtos de qualidade a preços acessíveis. “Quando olhamos para o cenário político e econômico do Brasil, continuamos otimistas com o futuro do País e investindo ainda mais, reforçando nossa comunicação e posicionamento e também nos tornando acessíveis a cada vez mais brasileiros que têm recebido a marca tão bem – tanto é que no ano passado inauguramos 73 novos restaurantes e nos tornamos a terceira maior rede de fast food do Brasil, com mais de 600 restaurantes”, afirma Ariel Grunkraut, diretor de marketing da empresa.

O Habib’s, terceiro colocado no estudo, também vem apostando na variedade. A rede, que já era conhecida pela produção própria de todos os seus ingredientes, tem se preocupado em oferecer um mix de produtos para seus clientes. Embora as esfihas sejam o carro-chefe, hoje ela oferece também refeições completas para o dia a dia, como ofertas combo. A estratégia fez com que a marca chegasse a 430 lojas no País.

O McDonald’s vem se dedicando a estudar não apenas o que dizem os consumidores, mas quando o fazem, passando a entender melhor seus momentos de vida

continuar lendo