Ainda não se espera voar em céu de brigadeiro nem navegar em águas totalmente calmas, mas tudo indica que a queda registrada em 2016, quando houve redução de 4 milhões de passageiros nos aeroportos administrados pela Infraero no comparativo com 2015, não deve se repetir neste ano. No setor, todos esperam que 2017 traga melhores resultados, principalmente relacionados ao turismo interno, que tem crescido de forma sustentável nos últimos anos. Se tudo der certo, ao final de dezembro o segmento deve apresentar faturamento levemente superior ao registrado em 2016, que já havia mostrado tímido incremento de 3%, segundo dados da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), que reúne 89 empresas especializadas.

Um dos motivos para esse otimismo reside na mudança de comportamento dos consumidores. “Viajar começou a fazer parte dos hábitos da família média brasileira, que hoje encara esse momento como um merecimento”, observa Marcelo Oste, diretor de marketing da CVC, empresa líder da categoria no levantamento Marcas Mais pelo segundo ano consecutivo. De acordo com ele, mesmo em situações adversas na economia, a empresa soube resistir e se aproximar ainda mais dos clientes. “A resiliência da companhia é um dos pontos fortes da atuação da CVC no Brasil. Ela soube navegar muito bem em mares revoltos, com vento contra ou a favor. Em 45 anos de história, já enfrentamos mais de 20 trocas de planos econômicos ou mudanças de moeda no País e nosso histórico mostra que, ano a ano, vêm crescendo as vendas de viagens e embarques de passageiros”, ressalta Oste.

Além disso, um dos passos mais importantes para se engajar ainda mais com os clientes é entender suas necessidades e demandas. “A CVC adotou o posicionamento ‘Vale Muito, Custa Pouco’, trazendo para o centro de sua comunicação a essência da marca, que consiste em oferecer uma experiência de valor para o consumidor por um preço que cabe em seu bolso. A comunicação visual também ficou mais moderna, o que aproximou os jovens, que também estão cada vez mais em busca de viagens com a variedade e a flexibilidade que os pacotes da empresa oferecem”, atesta Hugo Rodrigues, presidente da Publicis, agência que atende a CVC.

Facilitar a vida e oferecer opções rápidas aos viajantes são alguns dos principais diferenciais da Trivago, que, como em 2016, ocupa a terceira posição do ranking na categoria. “Somos uma ferramenta independente e imparcial que traz um inventário maior do que um canal mais tradicional e a possibilidade de pesquisar e comparar no mesmo lugar estabelecimentos e sites de reservas de diversos locais do mundo, tudo no idioma do consumidor. Além disso, para desenvolver conteúdos e produtos relevantes, levamos muito em conta o feedback dos nossos usuários, seja por meio de buscas no site, do uso de filtros e dos comentários postados nas redes sociais, no nosso blog ou nos e-mails enviados”, diz Jose Palacio, diretor da Trivago para a América Latina. Outro ponto salientado pelo executivo é a busca por desenvolver um processo de reserva cada vez mais dinâmico e ágil. “Temos investido em ferramentas, como o Express Booking e o Concept Search, que facilitam a escolha do usuário”, diz Palacio.

Para a família média brasileira, viajar traz o significado de merecimento

continuar lendo