O que se assiste em relação ao mercado de TV paga é curioso. Se, por um lado, a retração econômica trouxe impactos negativos na base de assinantes (confira reportagem sobre as empresas de TV por Assinatura), por outro, ela pode ser considerada um dos fatores responsáveis pelo crescimento da utilização dos canais pagos em 2016. De acordo com dados do Ibope divulgados pela Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA), no ano passado, a média diária de audiência dos canais pagos em 15 regiões metropolitanas do País foi de 8,2 pontos, aumento de 15% em relação a 2015, quando a média foi de 7,1 pontos. Acredita-se que esse resultado esteja relacionado ao fato de que, com menos dinheiro no bolso, as pessoas tendem a ficar mais tempo em casa, vendo TV.

Embora esse cenário seja positivo, mesmo quem surfa nessa onda deve estar atento e desenvolver estratégias de engajamento para estar sempre sintonizado com o consumidor. “Hoje, o relacionamento com os assinantes deve ser cada vez mais próximo, pois, com as novas tecnologias e o marketing digital, podemos ir além de suas necessidades e atender seus desejos. Agora, o consumidor escolhe o filme que quer assistir, além de decidir como, quando e onde acessará a programação. O Telecine preparou-se para oferecer essas possibilidades, seja por meio do serviço linear pelos canais de TV e pelo streaming ou por SmarTV, celular ou computador”, relata Flávia Heckser, diretora de marketing do Telecine, que, como em 2016, é o primeiro colocado da categoria Canais de TV por Assinatura do ranking Marcas Mais.

Opinião semelhante tem Monica Pimentel, vice-presidente de conteúdo do Discovery Channel, que ocupa a segunda posição do levantamento. “É preciso estar perto do consumidor onde quer que ele esteja. Por isso, trabalhamos em múltiplos pontos de contato, começando pelos próprios canais e passando por plataformas de vídeo online, aplicativos, redes sociais e até eventos presenciais. Mais do que canais de TV, somos provedores e curadores de conteúdo de alta qualidade, que busca estimular e satisfazer a curiosidade das pessoas, o que, atualmente, pode acontecer a qualquer momento, em qualquer situação”, diz a executiva. Por isso, a empresa procura nos contatos com o público trazer elementos de curiosidade e de conhecimento, além de experiências que tragam valor aos assinantes. “Nossas marcas estão muito presentes na vida das pessoas, seja a mãe que assiste ao Discovery Kids com seu filho, seja o apaixonado por motores que acompanha o Turbo ou quem se interessa por moda, gastronomia, aventuras e histórias humanas, constantemente presentes em nossa programação”, comenta Monica Pimentel.

Fernando Del Granado, vice-presidente corporativo de marketing da HBO América Latina, que ocupa a terceira colocação, acredita ser fundamental a empresa se transformar para aprimorar seus vínculos com os consumidores. “Ao longo dos últimos anos, a HBO investiu continuamente na melhoria de seu relacionamento com o cliente. Desenvolvemos diferentes pontos de contato, nos quais pudemos estabelecer conexões autênticas e genuínas com nosso público, ampliando a experiência da HBO para o mundo digital e offline. Também temos uma longa história de produção e exibição de conteúdo que inspira as pessoas. Agora, além de continuar a nutrir esse diálogo, nos concentramos em expandir ainda mais a inovação em tudo o que fazemos”, ressalta Del Granado.

O consumidor escolhe o filme que quer assistir, além de decidir como, quando e onde acessará a programação

continuar lendo