Desde 2010 a indústria da alimentação vem ampliando seu espaço no PIB brasileiro. De lá até 2016, o percentual de participação saltou de 8,5% para 10,1%. De acordo com a Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (Abia), o faturamento do setor saltou de R$ 330,6 bilhões para R$ 614,3 bilhões no mesmo período. Boa parte desse incremento vem da crescente preocupação que as empresas do segmento estão demonstrando com a qualidade de vida de seus consumidores. Mais do que em produtos, essas companhias estão focando seus esforços na venda de uma vida mais saudável. Na pesquisa Marcas Mais, essas qualidades são reconhecidas na Sadia, Nestlé e Perdigão, as três primeiras colocadas no ranking nos últimos dois anos. Cecilia Mondino, diretora de marcas da BrF, explica que nos últimos anos a Sadia, com 72 anos de mercado, tem promovido um grande movimento com o objetivo de ajudar os consumidores a se alimentarem melhor e viverem uma vida mais equilibrada.

“Como importantes movimentos dessa construção de um portfólio com produtos mais saudáveis, podemos citar o projeto de redução de sódio, no qual a Sadia investiu em uma tecnologia inédita e exclusiva que permite a diminuição desse componente sem alterar o sabor e a qualidade dos produtos”, explica Cecília, lembrando que a Sadia é a primeira marca de alimentos do País a promover redução de sódio (30%) em larga escala no seu portfólio, reformulando mais de 40 itens.

Para Fabio Fernandes, presidente e diretor-geral de criação da F/Nazca Saatchi & Saatchi, agência da Sadia, a marca é hoje o que ele chama de lovemark, com muito mais do que uma reputação técnica de tradição em qualidade. “Ela construiu uma memória afetiva junto dos seus consumidores e criou laços emocionais com eles. Quando uma marca consegue fazer isso, fideliza as pessoas sentimentalmente”, diz Fernandes.

Com 150 anos de existência e 95 no Brasil, a Nestlé, segunda colocada no ranking, mantém seu foco na melhoria da qualidade de vida das pessoas e na construção de um futuro mais saudável. Pedro Oliva, diretor de marketing e comunicação da Nestlé Brasil, esclarece que nas últimas décadas os brasileiros ficaram mais proativos no gerenciamento de sua saúde e passaram a compreender cada vez mais o papel dos alimentos. “Seguimos desenvolvendo novos produtos e aprimorando o portfólio. Acreditamos que nossas marcas devem estar próximas de seus públicos, dialogar com eles e, como uma empresa de nutrição, saúde e bem-estar, trabalhamos para que evoluam de acordo com suas necessidades, acompanhando-os em todas as fases da vida”, explica Oliva, afirmando que, de acordo com o instituto de pesquisa Kantar Worldpanel, a marca está hoje presente em 99% dos lares brasileiros.

Desde 1934 no Brasil, a Perdigão passou alguns anos sem poder divulgar seu portfólio completo devido à fusão com a Sadia, o que acontecerá a partir deste ano. Ainda assim, permanece como uma das mais lembradas pelos consumidores. “A Perdigão se preocupa em sempre oferecer um portfólio que atenda as mais diversas necessidades, em qualquer ocasião de consumo”, afirma Cecília Alexandre, gerente-executiva de marketing da Perdigão, que neste ano lançou a nova Mortadela Ouro Gran Bologna Perdigão e produtos para churrascos.

Entre 2010 e 2016, a participação do segmento de alimentos industrializados no PIB nacional saltou de 8,5% para 10,1%

continuar lendo