Palavra-Chave

PATROCINADO


Professor explica a diferença entre seguro e plano de saúde

A preocupação com a saúde torna-se evidente em um momento como o da pandemia de coronavírus. Como uma alternativa aos serviços públicos, os planos privados chamam bastante a atenção dos brasileiros. De acordo com o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esses serviços oferecidos pelas empresas foram considerados os principais gastos das famílias brasileiras entre 2010 e 2017. No topo da pesquisa estão os custos com médicos e planos de saúde.

Para se ter uma ideia, os gastos somaram R$ 231 bilhões. Ainda de acordo com os dados, existem mais de mil operadoras de serviço de saúde privada com mais de 70 milhões de clientes, ou seja, um terço da população brasileira tem algum tipo de serviço de assistência de saúde particular, seja um plano de saúde ou seguro saúde.

Seguro X Plano

Mas, na prática, você sabe qual a diferença entre o plano e o seguro saúde? O coordenador do curso de Medicina da Unoeste em Jaú, professor e doutor José de Oliveira Costa Filho, explica que o seguro apresenta algumas características específicas.

Ao optar por esse modelo, o segurado não depende de uma rede credenciada de serviços e profissionais. Com isso, é possível buscar qualquer serviço de saúde que precisar, o que confere maior segurança de atendimento. Entretanto, precisa pagar pelo atendimento, recebendo posteriormente o reembolso com valores fixos estabelecidos na apólice.

“O usuário de plano de saúde não é livre para escolher seu próprio médico, hospital ou laboratório. Mas, ao utilizar a rede de assistência do plano de saúde em questão, terá mais tranquilidade, pois não precisará desembolsar nenhum valor no momento do atendimento, sendo, eventualmente, necessário o pagamento posterior da coparticipação em alguns serviços e modelos de planos”. Por conta de suas características, o seguro costuma ser um pouco mais barato do que o plano.

LEIA TAMBÉM

Para quem é indicado?

O especialista explica ainda que o seguro saúde costuma ser uma boa opção para as pessoas que utilizam pouco os serviços. “Esses clientes terão um custo menor na contratação da cobertura e liberdade total de escolha de profissionais e instituições, além também daqueles que viajam ou que se mudam constantemente, pois, em um caso de urgência ou emergência, poderão buscar o serviço mais próximo, sem o risco daquele serviço eventualmente não ser credenciado a seu plano”.

Regulamentados pela ANS

O diretor-executivo de Saúde, Odontológico e Ocupacional da Porto Seguro, Marcelo Zorzo, assegura que as opções privadas são seguras e regulamentadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). “Tivemos diversas iniciativas criadas recentemente que contribuem para que a experiência do segurado seja cada vez mais completa: criamos o Alô Saúde, uma plataforma de orientação médica por telefone e vídeo chamada 24 horas, sete dias da semana. Além de orientação nutricional, esportiva e para gestantes, totalmente gratuita para segurados e dependentes”.

PATROCINADO